Novo Membro da Família e agora?

por | 24 jan, 2018 | Crónicas

Chegou o dia tão esperado pela família, uau! Depois de já ter pensado em tantas coisas para receber o novo membro da família, como o tipo de cama, os brinquedos, a cor da trela, entre tantas outras coisas importantes, também temos de avaliar alguns detalhes que minimizem as alterações que irão ocorrer na vida do recém chegado.

Tenha em conta que para a sua família este dia representa a chegada de um novo membro, mas para o puppy será a separação da mãe e dos irmãos, bem como a alteração do espaço que conhece, dos cheiros e das pessoas.

 

A escolha do dia

A escolha do dia em que receberá o novo membro, deverá ser um dia onde tenha a máxima disponibilidade para lhe dar atenção. Sugerimos que escolha um fim de semana ou início de férias pois, desta forma, o pequenote não conhecerá a solidão nos primeiros dias.
 

Onde irá descansar

Esta decisão deverá ser pensada com cuidado. É certo que gostamos de os ter sempre perto de nós e, se possível, o tempo todo! Mas o local onde irá dormir durante a noite, ou fazer umas sestas durante o dia, deverá ser tranquilo. Ou seja, um local que não seja de passagem, sem grandes alterações de temperatura, como correntes de ar ou aquecedores.
A opção de ter mais de uma cama é bastante sensata, assim o pequenino tem por onde escolher.
 

 

Transporte no 1º dia…

Caso seja a nova família a ir buscar o puppy, deverá ter atenção o local onde será transportado. O mais indicado será uma transportadora confortável para que o pequenino se sinta protegido, sem ver demasiado da paisagem e sentir excessivamente os movimentos. Não se esqueça que, provavelmente, o animal nunca andou de carro e por isso é provável que fique nauseado. Não ceda à excitação de o colocar ao colo pois a Lei proíbe o transporte de animais sem cinto de segurança ou transportadora adequada.
 

A primeira noite é a mais difícil

Provavelmente o pequenote irá chorar a noite toda, não sabendo porque não tem a companhia dos irmãos ou o quentinho do corpo da mãe. Existem truques que podem ajudar a esta crise da separação, minimizando a sensação de abandono:
  • Por exemplo, quando o for buscar leve consigo uma peça de roupa velha para passar no corpo da mãe do cachorrinho, assim poderá colocá-la na cama nova durante a noite;
  • Pode também, em vez duma peça de roupa, levar um peluche e fazer o mesmo processo. A vantagem do peluche, é que poderá colocar um pequeno relógio no seu interior. O som do tic tac do relógio, no meio do enchimento do peluche, soará ao batimento cardíaco da mãe.
 

Alteração de alimentação

De certo já comprou o alimento para o seu novo amigo, mas recorde-se que ele está habituado a determinada textura, odor e sabor.
Desta forma, pode pedir à antiga família um pouco da ração que o cachorro comia. Vá misturando a nova com a antiga de uma forma gradual, diminuindo a quantidade da mais antiga e aumentando a quantidade da nova. Este processo deve demorar no mínimo 4 dias. É muito importante que assim decorra, não só para a adaptação intestinal do pequenote, como para o despiste de determinadas doenças onde os sintomas principais são as diarreias e anorexia. Assim evita-se que estes sintomas sejam confundidos com a alteração da alimentação, levando os novos tutores a pensar que o bebé não gosta do novo alimento, ou que a diarreia é a causa dessa alteração.
É nesta altura que induzirá as regras da alimentação. Um bebé deverá ter acesso a um alimento de boa qualidade, e ser oferecido em quantidade suficiente para suprir o seu rápido crescimento.
Descontando as horas em que o pequenote dorme ou aquelas em que se diverte a comer, os tempos livres são para descobrir e brincar, bem como destruir qualquer coisa lá em casa. Poderá disponibilizar brinquedos que ajudam no crescimento dos dentes, estimular o sistema nervoso ou minimizar a ansiedade. Hoje em dia, os brinquedos estão adaptados às idades dos animais, exactamente para complementar o seu crescimento.
Deverá esperar 3 a 4 dias até levar o pequenote ao veterinário, desta forma poderá responder às perguntas efectuadas pelos profissionais. Caso contrário não teria ainda conhecimento suficiente do animal para responder às questões.
Aproveite essa semana para se conhecerem, ver o que ele gosta, como brinca, como está o seu apetite, e até mesmo para ir notando o aspecto da urina e das fezes.
 
 

Lá fora cá dentro…

Onde irá o seu novo amigo fazer as necessidades?
Esta fase exige paciência e cuidado.
Por norma, os bebés fazem as necessidades logo depois de comer ou dormir. É nesta altura que deve estar atento para começar a dar as primeiras indicações.
Enquanto não puder ir á rua por falta de vacinação, deverá colocar um resguardo à disposição. Sempre que fizer no sítio correcto, faça uma grande festa e altere o tom de voz e a sua expressão corporal para algo que demonstre felicidade. Mas quando fizer no local errado e seja “apanhado em flagrante”,  leve-o com calma ao resguardo e mostre que aquele é o local correcto.
Se apenas descobrir mais tarde onde fez a asneira, não reaja, não ralhe ou chame atenção. Ele não iria perceber. Se o reprimir por ter feito as necessidades fora do sítio, não sabendo ele ainda muito bem onde é, é possível que ele venha a ingerir as fezes com a intenção de as esconder.
A urina que fizer fora do sítio não deve ser higienizada com produtos como lixívia ou amoníaco. Esses produtos estimulam a marcação de território, levando a que volte a fazer no mesmo sítio.
Quanto aos ensinamentos básicos, como sentar ou deitar, deverão ser treinados todos os dias, mas durante pouco tempo, em treinos curtos.
A pequena cabecinha do cachorro não está disponível para muito e passados dez minutos do treino de obediência ele já estará a brincar com outra coisa. Faça várias sessões, todos os dias, menores que 10 minutos, compensando-o sempre de forma positiva pelo que faz correctamente. 
 

Aproveite bem esta fase, passa muito rápido.. e já agora, parabéns! Qualquer dúvida que tenha, coloque nos comentários abaixo. Se quiser partilhar connosco a imagem do seu puppy, adoravamos ver!

 

O objectivo desta página é partilhar informação e criar canais de comunicação, transformar problemas em soluções divertidas com um propósito comum: a qualidade de vida que o seu gordofino merece!

Elise Fernandes

Fundadora , Gordofinos

Mais artigos

Motivos da obesidade nos gatos (e soluções!)

Motivos da obesidade nos gatos (e soluções!)

Actualmente, a obesidade continua a constituir um dos problemas clínicos mais comuns em gatos. A obesidade, quando não provocada por determinada patologias (como por exemplo diabetes), pode ter várias origens: estilo de vida sedentário, falta de exercício, alimentação...

História do mini gigante OBIE

História do mini gigante OBIE

Obie, o cão famoso desde 2012 e com vários seguidores nas redes sociais é hoje em dia um caso de sucesso e um verdadeiro exemplo de Gordofino, como os seus 418 mil seguidores no facebook podem comprovar. O seu sucesso não se deve a ser uma estrela da Internet, mas sim...