Motivos da obesidade nos gatos (e soluções!)

por | 19 fev, 2018 | Gatos, obesidade

Actualmente, a obesidade continua a constituir um dos problemas clínicos mais comuns em gatos. A obesidade, quando não provocada por determinada patologias (como por exemplo diabetes), pode ter várias origens: estilo de vida sedentário, falta de exercício, alimentação inadequada,  alteração hormonal após cirurgia de esterilização, raça com predisposição para obesidade, medicação, etc. Vamos analisar alguns destes problemas, as suas razões e as pequenas coisas que podem ser feitas.

  

Caçar, comer e dormir

 
Através de conversas com tutores de gatos e de cães, apercebi-me de que um dos motivos principais que diferenciam a escolha da espécie do animal de estimação são os cuidados e atenção que estes necessitam.
Quando falamos de gatos caracteriza-mo-los como animais independentes, senhores das suas próprias rotinas,  nas quais o tutor normalmente não interfere. Tal independência faz parte da sua natureza pois, sejam gatos, gatinhos ou gatões, sejam leões ou gatos selvagens, todos os elementos da família felidae partilham mais de 90% do seu DNA.
Podemos caracterizar o estilo de vida destes felinos (selvagem ou domésticos!) em 4 pontos:
  • caçar;
  • comer;
  • dormir;
  • lavar o pêlo.
Em relação ao dormir, todos sabemos que estes pequenos leões dormem grande parte do dia, mais especificamente 2/3 da sua vida, ou uma média de 15 horas por dia. Nas várias sestas que dão nunca deixam de estar atentos e transitam facilmente entre o sono e a vigília.
No que toca a comer e brincar, fazem-no quando querem e são eles que decidem onde. São sem dúvida os chefes da casa! Os gatos, sendo animais independentes, também gostam da companhia dos tutores e adoram receber carinho e atenção, uns mais que outros.
Sabemos que entre cão e gato os cuidados são muito diferentes. Consequentemente, o tempo que necessitamos dispensar a cada espécie também varia.
Uma das vantagem de ter gatos é a ida ao WC sozinhos. A higienização do litter (caixa de areia) algumas vezes por semana é um processo mais simples, comparativamente aos cães. Em regra, estes dependem das várias idas ao exterior durante o dia, para fazerem as suas necessidades e os tão desejados passeios.
 
 

Qual o brinquedo preferido?

 
Se pensarmos um pouco, qualquer tutor de um gato, sabe exactamente o que ele gosta e não gosta. Sem hesitar, sabe qual a marca das latinhas de comida preferida, a exigência do sabor da alimentação, o local onde mais gostam de dormir ou os seus spots preferidos para tomar banhos de sol.
Mas muito raramente ouvimos falar de exercício, o que corresponde ao que chamamos de brincadeira, que é o que mais gostam de fazer. Devemos ter em conta que o modo de vida destes pequenos felinos é maioritariamente urbano, e nós limitamos o seu espaço ao apartamento, proporcionando um estilo de vida sedentário.

  

Pequenos gestos, grandes soluções

Devemos ter em atenção que um ambiente enriquecido com jogos, mobílias e actividades, irá minimizar o tédio e o sedentarismo. Pelo  facto de enriquecermos o ambiente onde vivem, conseguimos diminuir as horas de sono, a predisposição para a depressão e obesidade, bem como para vícios nos quais centram a sua energia, como pedidos de alimento excessivos ou limpeza do pêlo compulsiva. Melhoramos também a sua saúde urinária, prevenindo as infecções urinárias por stress ou ansiedade.
Existem hoje em dia muitos brinquedos que estimulam a actividade física, a curiosidade e o seu instinto de caça. Podemos comprar ou fazer os nossos próprios brinquedos caseiros. Os arranhadores, por exemplo, existem em vários tamanhos, formas e materiais. Até mesmo uma simples garrafa de água pode ser um divertimento incrível. Com algum esforço, pode ter em casa um pequeno ginásio para felinos feito por si, com diferentes texturas e cores. Para completar, só falta ter em conta o ambiente sensorial em que o gato vive. Por exemplo, quando sair de  casa deixe o rádio ou a televisão ligada com o som baixinho para o ajudar a não se sentir tão sozinho.
  
 

“A curiosidade matou o gato”

 
Não nos podemos esquecer que os gatos são extremamente curiosos. Tudo o que os rodeia tem que ser inspeccionado. Ao enriquecermos o ambiente, não devemos esquecer a segurança destes exploradores:
  • Atenção às janelas abertas caso viva num andar alto ou não queira que o gato tenha acesso aos exterior.
  • Tenha especial cuidado com as plantas que são tóxicas para os gatos (Lirius, Azalias, Brassaia Actinophylla, etc), que são muito bonitas para decorar o interior da sua casa, mas péssimas para a barriga do seu gato.
  • Tenha cuidado também com objectos cortantes decorativos, material de costura ( agulhas e linhas) ou material de pesca, e dedique atenção ao local onde tem peças decorativas brilhantes (ex: cristais e peças de vidro) prevenindo que o gato as parta e que se corte nas almofadas plantares ou palmares.
Para o ajudar nestas situações existem repelentes no mercado de produtos animais que impõem limites espaciais dentro da sua casa, evitando que faça da sua casa um parque de diversões perigoso. Tenho que referir que os repelentes não funcionam com todos os animais.
  

Carnívoro ou só piscívoro?

 
Há quem pense que os gatos só gostam do sabor a peixe, mas não… os gatos são animais carnívoros! Inicialmente dependiam do seu instinto caçador, alimentando-se apenas quando a caçada era bem sucedida, o que não ocorria todos os dias.
O seu metabolismo encontra-se adaptado a um regime alimentar rico em proteínas e reduzido em hidratos de carbono. 
Antigamente os gatos alimentavam-se consoante o êxito da caça (prática de exercício), proporcionando diferentes horas de refeição.

  

A obesidade em gatos: alimentação e exercício

 
A causa mais frequente da obesidade em gatos resulta do desequilíbrio entre a energia ingerida (alimento) e o gasto energético do animal (exercício). Sendo, por norma, o gasto energético mais baixo do que a energia ingerida.
A obesidade é influenciada pela ingestão alimentar em excesso, assim como pelos desequilíbrios na alimentação. Ou seja, pelos alimentos compostos por gordura ou hidratos de carbono excessivos e por baixos valores de proteína.
Se o seu gato for muito guloso ou sôfrego, ofereça varias porções de alimento durante o dia. Por exemplo, ao acordar, antes de sair de casa para trabalhar, antes do jantar e antes de dormir. Assim, optimizamos o seu metabolismo, aumentamos a sensação de saciedade e ainda melhoramos a sua saúde oral (efeito de escova através do impacto mecânico das bolinhas de ração nos dentes).
  

10 minutos ou mais

 
A ausência de actividade física também está relacionada com o aumento de peso, mesmo nos animais que fazem uma quantidade restrita de alimentação indicada para o seu peso.
O facto é que, por consequência de um gasto energético deficiente (exercício) ocorre a acumulação de gordura.  Exercite o seu animal e disponha de 10 minutos por dia para dedicar a brincadeiras com o seu gato. Desligue a televisão, prepare os brinquedos, escolha o espaço da casa e desafie o seu gato para brincar. Estes 10 minutos por dia melhoram a tonificação muscular (a do gato e a sua!), aumentam a autoconfiança e reforçam a ligação emocional entre os dois.

 

O objectivo desta página é partilhar informação e criar canais de comunicação, transformar problemas em soluções divertidas com um propósito comum: a qualidade de vida que o seu gordofino merece!

Elise Fernandes

Fundadora , Gordofinos

Mais artigos

Frutas, legumes… e gelados!

Frutas, legumes… e gelados!

Os nossos animais de estimação fazem parte da família e gostamos de os tratar como tal, incluindo as preocupações. Desta forma, é perfeitamente normal que queiramos oferecer-lhes a melhor alimentação e os melhores cuidados. Às vezes, o que queremos mesmo é mimá-los!...

Factores que contribuem para o ganho de peso

Factores que contribuem para o ganho de peso

A obesidade é um tema muitas vezes ignorado por parte dos donos, conduzindo a uma série de complicações na qualidade de vida dos animais. Nem sempre a obesidade é provocada por má gestão da alimentação ou por falta de exercício, podendo também dever-se a patologias ou...